8 de jan de 2009

GRITO ROCK JP 2009 - inscreva sua banda!

Ji-Paraná e seu Fim de Semana barulhento

Eu lá ia em direção à Jipa, tomando mais um daqueles ônibus que, aparentemente, são o máximo rumo a um fim-de-semana destruidor com direito a banda de metal e a gang de motoqueiros. Logo que saí da rodoviária me instalei no hotel bom e barato, que por uma leve coincidência, dá de fundos com uma prisão. Chego ao quarto e vou buscar meu celular na minha mochila, onde tenho o telefone dos amigos que conheço na cidade e dou conta de que havia perdido. Por sorte quem o encontrou foi o pai de uma moça que trabalha na empresa de ônibus e que me fez o favor de enviar o bendito telefone o mais rápido possível. É difícil encontrar pessoas honestas assim hoje em dia... Além de ser uma cidade bonita, comparada à retorcida e capenga capital, as decorações de Natal eram muito mais bem elaboradas e contava até com uma “casa do papai noel” nas proximidades do centro: uma bela casinha, estilo colonial com grama por todo lado, luzes e enfeites. Tal lugar chega mesmo a ser tomado como um ponto turístico por sua beleza (sem foto dessa vez, visitem e vejam vocês mesmos). Já no sábado lá vamos eu e minha senhora ao local onde se realizaria a primeira quebradeira do fim-de-semana. Na verdade eu já conhecia o local, mas em outra situação. É uma lan-house um tanto pequena com um bar no fundo e um espaço que cabem no máximo 70 pessoas. A polícia passando na avenida atrás de motos e carros irregulares, pois bem em frente fica o “point” da música boa e dos “garotinhos e seus carros legais”, uma pequena turma já se junta na frente da On-line, all-star, camisas pretas e o pessoal das bandas.
Cumprimento o “Di Marco” Raphael que só agora encontro, me sento no meio-fio para tomar uns goles de uísque e é aí que aparecem uns motoqueiros com motos envenenadas e suas jaquetas surradas e estacionam suas monstras do outro lado da rua na minha frente. Fico sentado curtindo o bom vento da noite e pensando em como o lugar vai suportar esse povo que esta do lado de fora... Pago os dois mangos do ingresso e depois de um tempinho a primeira banda entra em cena, Hope de Ouro-preto d'Oeste, que tocou apenas umas três músicas e, segundo o vocalista, me contou na cavernosa fila do banheiro, interromperam o show porque o som estava ruim. Também pudera, o lugar é uma caixa de fósforos e eles tentaram tocar hardcore, não funcionou. Espero outra chance de poder vê-los melhor. Depois entra a Di Marco, com o vasto repertório, mesclando músicas próprias com um seleto grupo de covers como Arctic Monkeys, Los Hermanos (muito bem executado), Amy Winnehouse, Strokes, Moptop e sei lá mais o que indie. Uma observação importante é que a Di Marco, sempre que a assisto, soa bem, com som bom ou ruim, eles parecem sempre os mesmos, coesos e com forte vibração pop. Pontos altos para as músicas próprias como “Parece não haver mistérios no embalo dos nossos quadris” e tantas outras que poderiam se reproduzir e fazer mais presença no pacote Di Marco.Eis que depois da Di Marco desses os motoqueiros lá de fora entram, o clima fica tenso e... Sim, eles são uma banda, não iam matar ninguém lá dentro, pelo menos não no nível físico, Old School
Of Rock'nRoll é o que pode ser o nome do grupo quanto a descrição das covers que tocaram. Para quem não entendeu, um festival de covers de Black Sabath, StheppenWolf e essas coisas. Logo em uma altura em que eu bebia vodka pura e tentava falar com o “garçon” que se esquivava de uma garota que ocupava a parte de cima do único balcão do lugar. O som do lugar não era lá essas coisas, mas por dois reais, um ambiente bacana e com ar-condicionado, três bandas e um clima meio “pub” é de valer a pena. Depois eu e minha senhora tomamos carona com o “Di Marco” Raphael e fomos comer uns pastéis e ver capivaras na rua (não é nenhuma piada elas realmente aparecem num parque às margens do Rio Machado).
O domingo (28/12) prometia com o “Eu quero é rock”, festival que contaria com participação de bandas locais e de Jipa. Marcado para as 19hs calculei que poderia assistir as cinco bandas que estavam no cartaz e tomar o ônibus de volta no mesmo dia, afinal meu trabalho me espera. O evento teve um enorme atraso, quase umas duas horas. Nesse meio tempo saímos para conhecer melhor o que a cidade tinha para oferecer, visitamos uma espécie de parque com brinquedos e o presépio gigante, tudo muito bem arrumado, mas meio misturado demais, tendas de bebidas e música eletrônica (dance) estavam no mesmo espaço de carrosséis, tiro-ao-alvo e pescaria, vai entender. Calculei que o atraso mataria umas três bandas que iríamos assistir, mas não foi o caso, perdemos só duas. Quando voltamos ao Teatro Dominguinhos a banda Djow, de Cacoal, estava se apresentando, formada pelo guitarrista da Relicário que agora ataca de violão e nos vocais, muito bons por sinal, e por mais 3 integrantes segurando o instrumental tocaram um pop rock bem elaborado misturando covers de Capital Inicial e músicas próprias e relembrando o material da Relicário, com um guitarrista virtuoso e controlado e uma batera forte e simples mostraram a cara da nova música de Cacoal, revelando que esta cidade do interior tem música de alta qualidade. Tirando as roupas meio esquisitas foi um ótimo show. Até estou procurando na internet. Logo após veio a Calibre a Gosto, de fato não consegui entender esse nome, tocaram o seu som pesadão meio new-metal meio Charlie Brown Jr, os pontos altos foram os covers de Rappa e suas músicas acompanhadas de um guitarrista absurdamente rápido. A banda em si é boa, com arranjos legais e meio inusitados, mas eu não conseguia entender quase nada que o vocalista grandão, musculoso e tatuado tentava cantar. A não ser no cover do Rappa que foi muito bem executado, mas gostei da banda e de sua presença de palco que não deixou ninguém parado dentro do gelado teatro que contava com o maior sistema de ar-condicionado dentro de um teatro que eu já vi, e senti. Depois disso veio a Hawk Angel. Das últimas duas vezes que os assisti tinham uma menina no vocal que tinham um gutural bem pesado, agora eles me aparecem com um vocalista e uma mudança de estilo drástica, passaram do gótico ao metal estilo Angra. Tudo que tenho condições de comentar é que o vocal desafina quando vai catar as notas mais altas naqueles gritinhos metal. A banda é coesa e muito bem ensaiada e agradou o público metaleiro que estava lá.Ao todo no teatro haviam umas 300 pessoas que ficavam fora e dentro, o teatro sempre com um movimento bom e, até a hora em que saí, nada de brigas ou confusões. O som do local era bom demais, ouvia todas as guitarras, baixos e baterias, na mesa de som até um notebook era usado para as regulagens, uns dos melhores sons que já vi, talvez os produtores da capital devessem zelar por esse ponto como no interior. Devido ao atraso não pude assistir as ultimas duas bandas, Tatudikixuti e Urbanóids, fica para uma próxima.Jipa, coloquem no mapa como ponto de encontro das bandas do estado todo, pois é a cidade que está praticamente no meio das distâncias e que sempre tem coisas legais rolando.

Por: Luiz Antonio
Colaborador Núcleo de Comunicação do Coletivo Raio Q U Parta

+++++++++++++++++
INAUGURAÇÃO DA SEDE CASARÃO

Estilo "pub", com ambiente totalmente climatizado, excelente palco para as bandas, som fixo e iluminação, com capacidade para 250 pessoas, banheiros, um grande bar. Um ótimo espaço para curtir um som, namorar etc.. Funcionará como ponto de encontro para jovens roqueiros, e bandas no geral que queiram fazer festas, trocar uma idéia ou simplesmente curtir. Nos dias com banda será cobrado um preço de entrada, custeando as despesas, equiparando e valorizando as bandas autorais com outros pubs da cidade, na qual atualmente se paga 10 reais para ver uma banda cover. A festa de inauguração da casa contará com a participação das bandas: HEYHEYHEY, RECATO E MISS JANE. A nova casa de Rock de Porto Velho, JÁ TEM DIA E HORA MARCADOS PARA ABRIR SUAS PORTAS!!O QUE?: Sede Casarão, a nova casa de Rock de Porto Velho.QUANDO: Dia 17/01 às 23 horas.ONDE: Endereço: Rua Paulo Leal, 970, esquina com Rua Salgado Filho.É PRA CURTIR O BOM E VELHO ROCK'N'HOLL!!!

+++++++++++++++++
RAPIDINHAS:


* CAMPEONATO DE BMX + Rock and roll


Neste fim de semana (10 e 11), vai rolar no ginásio de esportes "Gerivaldão"
CAMPEONATO DE BMX, com apresentação de varias bandas, dentre elas
DI MARCO, TATUDIKIXUTI, CALIBRE A GOSTO e muito mais.
------------------------------
* MUSICA DA DI MARCO NO YOUTUBE

já está no YOUTUBE a canção"PRO TEMPO PARAR"
da banda DI MARCO.
DÊ UMA CONFERIDA:
http://www.youtube.com/watch?v=YaaTIKxqNAU

+++++++++++++++++
APERITIVO:

VANGUART: SEMÁFORO

http://www.youtube.com/watch?v=VxnbtvLwwC8

Um comentário:

Produção disse...

Grande abraço pra galera do interior Alternativo!!!