25 de ago de 2009

Noite Fora do Eixo: Lanç. EP Tatudikixuti

Sábado (22) foi dia de rock em Ji-Paraná. Foi realizada mais uma Noite Fora do Eixo, que teve como sede o Original Bar, provável ponto fixo do lado B da noite ji-paranaense. O evento aconteceu por conta do lançamento do EP da banda Tatudikixuti e, de quebra, também rolou um show da Di Marco.

Em sua segunda edição (a primeira foi com Los Porongas), a organização da Noite Fora do Eixo demonstrou mais preocupação com a organização do evento. Primeiro ponto importantíssimo: melhoraram a qualidade do som. Só esse “detalhe” já rendeu às bandas mais conforto na hora de tocar, o que automaticamente esquenta o público. Massa.
A primeira banda a se apresentar foi a Tatudikixuti. No último dia 15, os meninos tocaram em Cuiabá, no Sindicatto Banda de Fora. Voltaram de lá bem empolgados pra tocar novamente e com um vocalista gripado, estado de saúde que ta durando até hoje (Oi, H1N1?). Mas, mesmo gripadão, o Rafael Frajola demonstrou a presença de palco de sempre. A banda tá muito boa, bem entrosada e o mais importante: as letras estão a cara dos membros da TDK. Eu tenho o primeiro cdzinho da Tatu e olha, posso dizer com propriedade que protestar é o que eles fazem realmente bem. Mela cueca não rola MESMO. Esse segundo EP tá muito legal e tem ótimas composições, como “Nasce, cresce, é enganado e morre” e “Jeitinho Brasileiro”. Quem for a algum evento que tiver o EP à venda, compra que vale a pena.
Eis que começa a apresentação da Di Marco. Em sua quarta ou quinta apresentação como power trio, a banda se mostrou muito confortável com seu número diminuído de componentes. Foi o melhor show da Di Marco desde o início da nova formação. Sem baterista com cara feia, sem briguinhas em cima do palco, vocalista ébrio, baixista fumante reincidente... tudo como tinha que ser. Showzão.
Em suma, o evento foi bem bacana e mais organizado que o primeiro. Por que eu tô falando tanto da organização? Simples. Geralmente, sobravam muitas tarefas pra poucas pessoas. Dessa vez, as funções foram delegadas, cada um cumpriu o seu papel (ponto muito importante) e tudo correu do jeito certo. O público não foi tão grande quanto o primeiro, mas foi bem acolhedor e interagiu um monte com as bandas, coisas que só um lugar pequeno e uma platéia de amigos fazem por você.


Samira Lima

++++++++++
EU QUERO É ROCK 2ª Edição

Acontece nos dias 28 e 29 de Agosto na Praça do Teatro Dominguinhos o Festival Eu Quero é Rock! 2ª Edição, evento aberto ao publico que contará com a presença de 12 bandas, dez de Rondônia e duas de Cuiabá (MT), visando o intercambio entre as bandas do estado e o já consolidado movimento cuiabano, que há anos vem servido de exemplo em relação a musica independente.
O evento marca a união das bandas de Ji-Paraná e a vontade fazer a diferença, com uma proposta coletiva, assim como a consolidação de um circuito de musica independente em Rondônia, visando a troca de tecnologias e o escambo cultural.
As 12 bandas que vão participar do Eu Quero é Rock! 2ª Edição se apresentarão seis em cada dia, ficando assim pro dia 28 (sexta) inicio as 18:00 com Rolpi (Ouro Preto), Nitendo (Jipa), Eclipse Final (Jipa), Projeto Bioart (Cacoal), Inimitaveis (Cuiabá – MT), Di Marco (Jipa); e no dia 29 (sábado) Morgue (Vilhena), Neófytos (Jipa), Djow (Cacoal), Ultimato (Porto Velho), Veniversum (Cuiabá – MT) e Tatudikixuti (Jipa).
No dia 28 após a primeira noite do “Eu Quero é Rock!” acontece o “StiK” no Original Bar, uma espécie de Happy Hour, com a banda Calibre a Gosto e Amigos, valor a entrada 5,00 reais e muito rock and roll.

Raphael Amorim

2 comentários:

Filipe disse...

pode crer, sexta feira é nóis :P

Dennis Rodrigues disse...

Sexta está chegando...
uhuuuuuuuuuu!!!

, )